O Conselho de Administração da Gafisa é o órgão responsável pela tomada de decisões e formulação de diretrizes e políticas gerais referentes aos negócios da Companhia, incluindo suas estratégias de longo prazo. Além disso, o Conselho também nomeia os diretores executivos e supervisiona suas atividades.

As decisões do Conselho de Administração são ratificadas por meio do voto majoritário de seus membros. No caso de empate, cabe ao Presidente do Conselho de Administração, além de seu voto pessoal, dar o voto decisivo.

O Conselho é formado por cinco membros, dos quais quatro (80%) são independentes, o que atende à determinação da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), que determina que toda companhia listada tenha um conselho de administração formado em sua maior parte por membros independentes, enquanto o Estatuto Social da Companhia e o regulamento da Bovespa estabelecem um mínimo de 20% de membros independentes. O mandato dos membros é unificado, de dois anos, passível de reeleição e de destituição pelos acionistas em assembleia geral.

Responsabilidades do Conselho

  • Estabelecer as diretrizes dos negócios;
  • Aprovar, anualmente, o orçamento operacional e o plano de negócios;
  • Eleger e destituir Diretores, estabelecer suas atribuições e supervisionar seu trabalho de gerência;
  • Estabelecer os critérios gerais referentes à remuneração e à política de benefícios aos administradores e ao Conselho de administração;
  • Convocar Assembléia de Acionistas;
  • Propor alterações ao Estatuto Social;
  • Selecionar e depor auditores independentes; e
  • Autorizar a emissão de ações, bônus e debêntures simples, entre outras responsabilidades.

O mandato do atual Conselho de Administração se encerra na AGE a ser realizada em 15 de abril de 2019. A tabela abaixo apresenta o nome, posição e a data da eleição para cada um dos membros de nosso conselho de administração.

Nome DATA DE NASCIMENTO Posição Data da Eleição
Leo Julian Simpson  30/03/1956 Presidente 15 de abril de 2019
Antonio Carlos Romanoski  12/02/1945 Conselheiro Efetivo 15 de abril de 2019
Eduardo Larangeira Jácome  15/10/1955 Conselheiro Efetivo 15 de abril de 2019
Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure  21/11/1951 Conselheiro Efetivo 15 de abril de 2019
Roberto Luz Portella   08/08/1944  Conselheiro Efetivo 15 de abril de 2019
Thomas Cornelius Azevedo Reichenheim  04/12/1947 Conselheiro Efetivo 15 de abril de 2019
Denise dos Passos Ramos 30/01/1975 Conselheira Efetiva 3 de julho de 2019

Leo Julian Simpson, ,

É cidadão britânico, formado em Direito pela Bristol University, na Inglaterra, em 1977. Começou a exercer a profissão de advogado em escritórios da Inglaterra em 1978. Em 1977 iniciou a carreira como advogado financeiro na Rickerbys & Pardoes, trabalhando com o desenvolvimento de propriedades industriais e instalações de empreendimentos lazer na Inglaterra. Em 1986, ampliou essas competências, na Shimizu Corporation, maior empreiteira do Japão na área de financiamentos e empreendimentos de lazer na Europa e Ásia. A partir de 1987 passou a trabalhar no escritório McKenna & Co., na documentação e financiamento de projetos internacionais de infraestrutura nos setores de telecomunicações, energia e transporte, incluindo o desenvolvimento de aeroportos e usinas elétricas no Reino Unido. Além disso, Leo prestou assessoria jurídica na criação de empresas como National Grid, France Telecom, Sprint Corporation e da Intelig Telecomunicações no Brasil, da qual se tornou diretor comercial e depois presidente, cargo que manteve até a empresa ser vendida por seus investidores brasileiros para a TIM.

Antonio Carlos Romanoski, ,

Exerceu diversas atividade na Cia. Paranaense de Energia Elétrica – COPEL em 17 anos exerceu diversas atividades: Gerente, nas áreas de Finanças e Recursos Humanos; foi superintendente (residente) na construção das Usinas de Salto Osório e Foz do Areia. Responsável pela captação de financiamentos externos junto a órgãos Internacionais. Exerceu os cargos de Diretor Administrativo, Diretor Financeiro e membro do Conselho de Administração. Atuou por 15 anos na Refrigeração Paraná S.A., segunda maior fabricante de Eletrodomésticos do País. Exerceu os cargos de Diretor Administrativo Financeiro, Diretor Geral e de Relações com o Mercado. Liderou o processo de fusão compra e Fusão das Indústrias Pereira Lopes. Liderou o processo de reestruturação das Organizações Prosdócimo, com a fusão e incorporação de 14 empresas. Coordenou o processo operacional da venda do Controle da companhia para a Electrolux do Brasil S.A., na qual foi Diretor Presidente (3 anos) e Membro do Conselho de Administração. Promoveu a fusão da Refripar com a Electrolux S.A. Criando a Electrolux do Brasil, empresa única. Promoveu a união das marcas Electrolux/Prosdócimo.Foi Diretor Geral, entre 2002 a 2003 da Unimed Curitiba, sendo responsável pelo projeto de reestruturação da empresa; Foi presidente da Atlas Indústria de Eletrodomésticos, fabricante de fogões e máquinas de lavar roupas e louças. Com fábricas em Pato Branco/PR, Caxias do Sul/RS e Salvador/BA, além de uma montadora de fogões em Honduras. É membro do Conselho de Administração desde 1.988. O projeto de investimentos e expansão para 2004 inclui expressiva participação no mercado externo, com foco na América Latina; Membro do Conselho de Administração da TEKA – Tecelagem Kuenrich S.A. em 2003/2004. No mesmo período de 2003/2004 foi membro do conselho de administração da Ferropar – Ferrovia Paraná S/A – ALL (América Latina Logística) que atualmente produz bicicletas com a Marca SUNDOWN, líder nacional no seu segmento, Fitness e Motocicletas. É acionista desde 1994 da CEFI – Centro de Excelência em Finanças que presta assessoria empresarial com especialidade em fusões, aquisições, sucessão (empresas familiares) e estruturação financeira (capitalização, abertura de capital etc.). Coordenou os seguintes projetos, dentre outros: - Prefeitura Municipal de Curitiba – Reestruturação financeira e capitalização - Inepar S/A Indústria e Construção – Reestruturação do Grupo e criação da Holding - De Lara Transportes – Avaliação da empresa e advisor na venda para ALL - Sonae Emplanta – Assessoramento na captação de recursos para Shopping Center - Copel – Integrante no Consórcio para privatização da companhia - HSBC – Treinamento de 2.000 gerentes e diretores no conceito EVA - Souza Cruz – Assessoramento em projeto de investimento no Estado do Paraná - Unimed Rio – Reestruturação e adequação mercadológica. Atutalmente é acionista do CEFI – Centro de Excelência em Finanças e da Romanoski & Associados..

Eduardo Larangeira Jácome , ,

Formado em Administração de Empresas pela Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro. Possui 45 anos de experiência em Gestão Empresarial e Recursos Humanos, sendo 35 em posições executivas. Trabalhou 23 anos na IBM, 3 anos na Coca Cola Andina, 5 anos na Telemar/Oi, 4 anos na Cia. Brasileira de Multimídia e 1 ano na HRT/PetroRio. Planejou, implementou e dirige a People & Business Solutions (2006), a Global Sports Network (2010) e a PBS Tecnologia (2015). É membro (2018-2020), da Diretoria Executiva do MercoSerra – Agência de Desenvolvimento da Serra Carioca – entidade privada de apoio ao desenvolvimento econômico da região formada por Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis. É Membro do Conselho Fiscal (2018-2020), da ACIANF – Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo. Em 2016 foi aprovado como Membro Associado do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC).

Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure , ,

Diretor Presidente de Docas Investimentos S.A. Atua como investidor da PETRO RIO S.A. desde 2013. Adquiriu a Editora Peixes S.A. em 2006. Firmou contrato de usufruto das marcas Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil e revista Forbes em 2001. Adquiriu o controle acionário de Docas S.A. e de suas subsidiárias Boavista S.A. e Boavista Trading em 1999. Incorporou a ISHIBRAS, formando a companhia "Indústrias Verolme-Ishibras S.A." - IVI em 1994. Foi Presidente do Conselho de Administração da SADE VIGESA S.A. (união da Sul Americana de Engenharia S.A. e Villares Equipamentos) em 1991. Adquiriu o EMAQ VEROLME ESTALEIROS S.A. (fusão dos estaleiros EMAQ Engenharia e Máquinas S.A. e Estaleiro Verolme) em 1989. Fundou a RCI - Representação e Comércio Internacional Ltda., empresa brasileira de comércio e participações que detêm o controle acionário da SEQUIP - Serviços de Engenharia e Equipamentos S.A. e da EMAQ - Engenharia e Máquinas S.A. em 1983. É formado em Administração de Empresas pela Universidade Federal da Bahia em 1975 e graduado pelo Institut des Hautes Etudes de Development Economique et Social - Université Paris I em 1976. Tem especialização pela Harvard Business School - Owner/President Management Program Unit I (18/10/2015 - 06/11/2015) e Program Unit II (30/10/2016 – 18/11/2016)..

Roberto Luz Portella , ,

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da UERJ, em 1967, Roberto especializou-se nas áreas de Direito Empresarial e Tributário no Centro de Estudos e Pesquisas no Ensino do Direito (CEPED) da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (FGV-RJ), em 1968, enquanto estagiava no escritório Gilberto Ulhôa Canto - RJ. Após desenvolver cursos de pós-graduação nos Estados Unidos (Direito Norte Americano pela Brown University e International Legal Studies pela Harvard Law School), retornou ao Brasil, vindo a atuar como advogado do escritório Pinheiro Neto em São Paulo, onde praticou no Setor de Direito Societário e Fusões e Aquisições. Lá desenvolveu operações relevantes para a Pfizer (venda da Coty) e no plano de expansão da Refinações de Milho Brasil, entre outras. Convidado por seus ex professores do CEPED, retornou ao Rio de Janeiro para trabalhar no Grupo Brascan/Light e lecionar Direito na PUC-RJ. No Banco Brascan de Investimentos, realizous trabalhos na montagem de produtos de crédito e financiamentos de projetos bem como na participação do banco em lançamentos de ações e outros negócios em Mercado de Capitais. Na área de Mergers and Acquisitions, atuou nas seguintes operações: Compra das Indústria de Tomate Peixe, Dulcora, Metalúrgica Matarazzo, Brinks, Sardinhas Coqueiro, criação de várias empresas de pesquisa e exploração de minérios, Compra de Frigorificos como a Swift, joint venture com a Intercontinental Hotel para a construção do hotel em São Conrado-RJ, Compra com a ADELA das áreas Trindade e Laranjeiras no litoral de São Paulo e participação no capital da Aracruz, bem como a Aracruz Florestal e posteriormente a incorporação da Aracruz Celulose S.A. Acompanhou os interesses do Brascan como business counsel em seus investimentos. Convidado para a estruturação do start-up da Aracruz Celulose, assumiu a direção jurídica para a montagem, financiamento e construção do projeto, ficando na empresa por 15 anos onde assumiu também as funções de Diretor Financeiro e de Relações com o Mercado e diretor das diversas subsidiárias. Ao término de seu mandato, foi convidado a montar o planejamento estratégico do Grupo Lorentzen onde acabou assumindo a Direção Jurídica e após a Direção Financeira. Reorganizou o Grupo, tendo como principal função montar o grupo de controle da Aracruz para a compra da posição dominante do BNDES. Saindo do Grupo Lorentzen foi convidado a juntar-se ao Citibank, onde, de início coordenou a elaboração do Plano estratégico do Banco, sendo nomeado Vice-Presidente e, em seguida General Counsel, com report ao Presidente. Participou da alta administração do Banco e conduziu diversas operações como a negociação da dívida do setor público (ex. Siderbras) a formação do Banco Múltiplo, o joint venture com o Banco Crefisul, os investimentos na área de Seguros e Cartões de crédito, a organização do Private Bank e a recuperação de créditos de devedores insolventes. Nesta época foi o chefe do Comitê Jurídico da Associação Brasileira de Bancos Internacionais e do Comitê Jurídico da Amcham-SP. Ao deixar o Citibank, ingressou como advogado do Demarest com a missão de organizar a área de Finance e Mercado de Capitais. Com a criação da área de Direito Empresarial, supervisionou diversas operações de porte desde de emissões de dívida e de capital, compra de empresas entre as quais de Capital Aberto e diversas operações de Fusões e Aquisições e Operações Financeiras estruturadas. Participou da Administração do escritório em diversos mandatos como membro do Conselho de Administração e Diretoria. Ajudou na formação do setor de Seguros assim como teve relevantes trabalhos junto à Petrobras no período em que administrou a filial do Rio de Janeiro. Indicado pela Who's Who Legal 2009 como Leading Lawyer na prática de Direito Societário. Atuou como sócio do Demarest até março de 2019.

Thomas Cornelius Azevedo Reichenheim , ,

Formado em Administração de Empresas em 1972 pela Fundação Getúlio Vargas e em Direito pela FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas) - 1972. É ex Diretor de várias empresas, notadamente Banco Auxiliar, Banco Auxiliar de Investimento, Auxiliar Seguradora, La Fonte Fechaduras e LFTel S.A.. É sócio proprietário da Carisma Comercial ltda. da T.R Portfolios Ltda. e assessoria em abertura de capital e instituições financeiras.

Gráficos de Cotações